sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A. Garrett: Para ler e refletir

     Em homenagem aos 300 trabalhadores angolanos da empresa de recolha de resíduos sólidos, vulgo lixo, "Sanágua, Lda" ameaçados de despedimento em pleno mês de Natal, como resultado de uma mais que "atípica" relação contratual entre o estado angolano (governo de Benguela) e as operadoras privadas do ramo. É caso para dizer: O lixo do pobre afinal é rico, tão rico ao ponto de provocar disputas entre os tubarões.

 "Já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar à miséria, ao trabalho desproporcionado, à desmoralização, à infâmia, à ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um rico?"


Almeida Garrett (1799-1854), escritor e político português.

3 comentários:

KOHACIRCLE disse...

Azulay, Caro kamba.

Os tubarões não conhecem senão a "comida" e natal, para tubarão, com desemprego, fome, miséria e exploração... isso sim, é natal que o tubarão gosta. Kandandu do kota victor bastos.

KOHACIRCLE disse...

feliz Natal e melhor 2010 para os Kambas de Ombaka. Votos do Kota Bastos

Rui disse...

Amigaço "baniamulengue", antes demais parabens pelo Blog, esta muito bom.
Quanto ao tema, lamentavelmente são os problemas que temos no nosso pais, nós benguelense ainda chegamos a pensar que com a mudança de governado provincial, algo viesse a mudar mas pelos vistos a coisa tende a piorar, este é mais astuto.
Vamos AGUENTAR AS MALAMBAS DA NOSSA BENGUELA.
- MAS A ESPERANÇA É UM SENTIMENTO QUE NUNCA NOS VÃO TIRAR"