segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Preparativos para o Raid Benguela-Maputo em Moto

 O projecto esta na forja e vai vingar: o objectivo e ligar de moto as cidades de Benguela e de Maputo, em Mocambique. Darei oportunamente mais informacoes sobre este raid que penso realizar antes do Natal. A maquina esta preparada mas existem outras necessidades, para as quais estamos a solicitar patrocinadores. Se Deus quiser conseguiremos. Ha 3 semanas iniciei o programa de preparacao. Primeiro aconteceu uma ida ao Lubango e volta. Depois uma esticada ao Cubal e volta. Neste fim de semana o destino foi o Huambo e Bailundo. Desenferrujar os ossos, melhorar os reflexos e perder uns quilitos. Um programa que inclui a parte de treinamento fisisco, propriamente dito e o casamento com a moto. Deste final de semana verdadeiramente  extraordinario contam as fotos que vou publicando. Foram cerca de 900 quilometros percorridos em dois dias. Assim vamos ganhando a forma desejavel. Vou falar-vos tambem da maquina escolhida, a fenomenal Moto Guzzi modelo Stelvio de fabrico italiano. 1200 cc com 4 cilindros em V capaz de debitar uma potencia maxima de 105 cavalos e transmissao em cardan. Ma che bella machina!!

   A foto: Londuimbali, provincia do Huambo a paragem obrigatoriamente e o registo da praxe para a posteridade clicada  por um fotografo que era apenas um homem sentado a berma da estrada e via os carros passarem."O mano m'ensina eu faco, obrigado". Havia saido do Huambo por volta das 11h da manha de Domingo, 26 Setembro. Um regresso ao bau de recordacoes dos tempos de guerra que ja la vao. Que sensacoes assaltam o coracao de um homem ao passar de moto na mais completa Paz pelos mesmos locais onde sepultou o seus camaradas? Os pneus da potente moto giram sobre o asfalto negro onde antes as lagartas dos tanques rangiam entre ravinas e crateras de minas.O testemunho de um pais que saiu decidido dos escombros e agora mostra a singela face do progresso; pequenas coisas que transformam em realidade o tudo que  sonhamos um dia. Lembramos os que jorraram generosamente o seu sangue, os que ficaram estropiados para o resto da vida.Que a Patria nao os esqueca nunca!
 Sem nenhum candidato a fotografo de ocasiao por perto, a solucao foi mesmo saltar da mota para detras da camara e dar o "click". Estradas impecaveis, sinalizacao como so viamos nos filmes ou quando fossemos a Namibia ou Portugal. Nos, os angolanos conseguimos a  querida Paz. Agora tambem temos o que e nosso e vamos mostrar aos outros e convida-los a partilharem na concordia e na amizade. Podemos circular livres e usufruir das belezas que Deus brindou a nossa querida Angola. Bem Haja.

3 comentários:

Soberano Canhanga disse...

Quão bom é retratar Angola.

Anónimo disse...

Deleita-nos com mais pormenores dessa aventura amigo Jaime. Tens um jeito super de escrever.
Abraco
Freitas

Anónimo disse...

Sózinho?Isso pode ser complicado, principalmente nesses grandes espaços onde as avarias,ou uma queda mesmo que simples se transforma rápidamente num grande problema por falta de assistência.Infelizmente já pude comprovar a verdade suprema dos motoqueiros" não se põe a questão se algum dia vais cair, apenas não sabes é quando".Depois de uma série de intervenções,transplante de osso,placas , parafusos e umas plásticas que terminaram com 6 meses de fisioterapia lá me arranjaram o canastro.Eu que nunca tinha caído, mas que uma vaca voadora fez o favor de me caír em cima para se cumprir a profecia.Ia acompanhado e tive toda a ssistência no socorro e no tratamento, de contrário podia ter sido o fim da picada......Meu caro, que tudo corra pelo melhor, até porque terei muito gosto em ler as tuas crónicas mas o ideal seria pelo menos mais uma mota e um companheiro.Quanto à máquina, uma bela "menina" sem dúvida, embora a minha escolha fosse outra em função da tarefa.Japonesa(dizem que são mais fiàveis) menos exigentes na qualidade da gasolina e na manutenção em geral, com melhor posição de condução e mesmo contando com o teu cabedal até 750cc, para menos consumos , mais manobralidade e menos peso.Mas são só palpites e uma pontinha de inveja por não poder ir contigo.Seja como for, tudo de bom para ti.
Nando